A cidade localiza-se junto à margem esquerda do rio Ave. O território da actual freguesia, definida parcialmente a partir dos limites do couto do antigo mosteiro beneditino, foi administrado durante largos séculos pelos seus monges.Ao antigo couto beneditino sucede o concelho, cuja Comissão Municipal Interina toma posse em 11 de Maio de 1834. Desde essa época, Santo Tirso permanecerá como concelho, integrando-se o seu território no distrito do Porto.

Composto actualmente por vinte e quatro freguesias, Santo Tirso integra a região do Douro Litoral e o Distrito do Porto. Os dois maiores centros urbanos, Santo Tirso e Vila das Aves, detém cerca de 30% da população concelhia. A sua área administrativa divide-se por um território de 135,3 Km2 , abrangendo parcialmente os vales dos rios Ave, Leça e Vizela. Com cerca de 13 mil habitantes, a população de Santo Tirso dedica-se maioritariamente à actividade Têxtil.Memória e Identidade Santo Tirso no domínio cultural caracteriza-se não só pela presença de marcas históricas que definem o seu carácter e identidade, mas fundamentalmente, na projecção no futuro da sua capacidade interventiva no presente.

Para o visitante que venha à cidade de Santo Tirso sugere-se um passeio de três etapas – a zona ribeirinha cujo enquadramento arquitectónico e paisagístico nos transportam para a génese da cidade com destaque para o antigo mosteiro beneditino de Santo Tirso; a Rua que constitui o centro da cidade e se desenvolve num eixo entre o Parque D. Maria II e a Praça Conde S. Bento onde se conservam os mais belos edifícios de arquitectura civil, nomeadamente algumas casa de “brasileiros”; os carvalhais no centro da cidade cujo miradouro proporciona uma excelente vista panorâmica para o monte da N. Sr.ª da Assunção e onde é também possível apreciar alguns dos mais belos exemplos escultóricos que compõem o Museu de Escultura Contemporânea de Santo Tirso.